Como abrir minha empresa com segurança?

Compartilhe

MEI, EI ou Eireli?

Se brasileiro pudesse ter um sinônimo, este deveria ser persistente, porque se tem uma coisa que não falta no brasileiro é persistência, brasileiro não desiste nunca, toda vez que a situação financeira aperta, lá está o brasileiro pensando em empreender para gerar ou complementar a renda. Muitos utilizam saldos de rescisão de trabalho de anos  de dedicação a uma empresa ou aquela poupança guardada com muito suor durante anos para realização de um propósito, um sonho: “abrir sua empresa e o famoso “trabalhar por conta”

Contudo, a falta de orientação e de conhecimento  pode fazer esse sonho virar um pesadelo, por falta de planejamento na abertura da empresa em pouco tempo se vê afundado em débitos tributários e com o sonho desmoronado. 

Mas então, o como abrir uma empresa com segurança? 

Comece certo, primeiro é preciso conhecer os tipos de constituição de empresa existente na nossa legislação e a partir disso avaliar qual o melhor formato para a atividade pretendida. Neste artigo, vamos tratar exclusivamente dos modelos que vão ajudar aqueles que não pretendem ter sócios e investem sozinhos no seu negócio, são eles:

01. MEI – Micro Empreendedor Individual:  Trata-se de uma empresa individual, voltada para a formalização das pessoas que trabalham por conta própria. Suas principais características são: 

  • Um microempresário individual não pode ter sócios;
  • Só pode ter um funcionário;
  • Deve ter uma receita bruta anual de até R$ 81 mil;
  • Paga apenas um valor fixo  mensal de imposto, que será definido de acordo com a atividade exercida (Indústria e/ou Comércio, prestação de serviços).

Vantagens:  O processo de abertura é bem rápido e não tem custo (CNPJ e Certificado do MEI pode ser emitido pela internet)*. Está dispensada da contabilidade mensal caso não tenha funcionários. Por ter um custo de manutenção baixo, apenas o imposto fixo mensal, é uma boa opção para o início de atividade.

*lembrando que dependendo da atividade pretendida haverá licenças específicas e estas podem ter custos

Desvantagens: Não atende todas as atividades, além do limite de funcionários e de faturamento que reduzem a perspectiva de crescimento da empresa.

02. EI – Empresário Individual: se diferencia do MEI pelo fato de que o faturamento anual que define sua forma de tributação, e pode ser classificada em ME (Micro Empresa) ou EPP (Empresa de Pequeno Porte), e permite que atividade da empresa seja mais abrangente.

Vantagens: O faturamento pode chegar até R$ 4.800.000,00. Não tem restrição de atividades e nem de funcionários.

Desvantagens:  a principal é que a pessoa física que se coloca como titular da empresa e responde de forma ilimitada pelos débitos do negócio, de maneira que os patrimônios de empresa e empresário se misturam e será necessário também atender outras responsabilidades acessórias.

03. Eireli – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada: sua característica mais atraente é que sua forma de constituição se iguala a sociedade limitada e diferente das duas anteriores possuí Contrato Social e o empresário tem a livre escolha da razão social da empresa.

Vantagens: ao contrário do Empresário Individual, a Eireli responde juridicamente somente sobre o valor do capital social da Empresa, ou seja de forma limitada o que confere uma autonomia patrimonial da Pessoa Física e da Pessoa Jurídica.

Desvantagens:  a principal entrave é que para abrir uma Eireli é necessário um capital social mínimo de 100 vezes o salário mínimo vigente 100% integralizado, ou seja, o investimento é bem alto para um início de atividade.

Uma característica comum das 3 modalidades é que podem ser enquadradas no Simples Nacional e ter a vantagem da simplificação da apuração dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL);  além da isenção do INSS Patronal, o que representa uma baita economia sobre folha de pagamento da empresa.

Agora  você já conhece as principais modalidades de constituição de empresas individuais e suas particularidades, mas lembre-se sempre de procurar um contador para avaliar qual é o melhor formato para sua atividade e transforme sua empresa em um grande negócio.

Elaborado por Janaina Costa Laurenti
Contabilista na  Infocus Contabilidade

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *